USINAS EÓLICAS E BIODIVERSIDADE

PERSPECTIVAS PARA A SUSTENTABILIDADE

WIBIS BRASIL 
16 E 17 DE JULHO, 2019
SÃO PAULO

Bem vindo ao WIBIS Brasil 2019

Uma conferência de especialistas para especialistas

O WIBIS Brasil faz parte do ciclo de conferências WIBIS (Wind and Biodiversity). O WIBIS Summit visa uma abordagem global, com o objetivo de impulsionar as melhores práticas, partilhar conhecimento, conectar pessoas e promover projetos globais de I & D. Para tanto, nosso programa inclui o envolvimento de especialistas de diversos países, quer para compartilhar conhecimento de seus projetos ou fomentar novas práticas e inovações. A ideação do WIBIS Summit é promover um espaço para o debate e construção de soluções sustentáveis na energia eólica.


Construindo sob o sucesso do WIBIS Brasil em 2018, o evento de 2019 será dedicado a temas identificados pelo grupo de trabalho como fulcrais para o desenvolvimento eólico sustentável no Brasil. Esses temas incluem questões essenciais, como questões técnico-metodológicas para o monitoramento da Biodiversidade, impactos socioeconõmicos das usinas eólicas e respetivos compartilhamento de benefícios, e procedimentos específicos de usinas eólicas. 

LOCALIZAÇÃO

Consulado Geral de Portugal em São Paulo

Rua Canadá, 324 – Jardim América - São Paulo

DATAS

16 de Julho – Seminário
17 de Julho – Workshops

ESTES SÃO OS NOSSOS

Oradores

Miguel Mascarenhas

Gerente e Especialista Ambiental @Bioinsight | Portugal

Miguel é um especialista em Ecologia e Avaliação de Impactes. Na Bioinsight, Miguel é o gerente e também está ativamente envolvido no desenvolvimento de negócios. Para fazer isso, Miguel concentra seu trabalho em entender os desafios e necessidades dos clientes e parceiros, criando um espaço para a equipa da Bioinsight para o que eles sabem melhor: criar soluções sustentáveis para negócios e biodiversidade.


Miguel participou de centenas de avaliações de impacto ambiental, programas de monitoramento, avaliações e outros serviços estratégicos de consultoria ambiental relacionados à biodiversidade. Desde 2009, Miguel tem estado envolvido na aplicação das Diretivas Europeias sobre Aves e Habitat durante a avaliação ambiental de planos e projetos e na incorporação de serviços ecossistémicos na avaliação e gestão da biodiversidade.

Gustavo Simon

Director Comercial @ECOA Ambiental | Brasil

Gustavo Luis Simon, possui 10 anos de experiência de atuação em Gerenciamento de Projetos, Consultoria Ambiental, Licenciamento Ambiental (Estudo de Impacto Ambiental – EIA e Relatório de Impacto Ambiental - RIMA, Relatório de Controle Ambiental - RCA, Plano de Controle Ambiental - PCA, Relatório Ambiental Preliminar - RAP, Relatório Ambiental Simplificado - RAS, etc.). Bacharel em Biologia pela Universidade do Vale dos Sinos – UNISINOS, em julho de 2013. 

Paulo Cardoso

Especialista Ambiental @Bioinsight | Portugal

Nos últimos 18 anos, Paulo trabalhou com biólogos, professores, médicos e epidemiologistas, em questões relacionadas à ecologia, cartografia, governança, avaliação de impacto e energia renovável, em um longo histórico de mais de 220 estudos. Ele passou uma quantidade significativa de tempo em trabalho de campo com biologia de espécies, ecologia de comunidades de plantas e animais, na Europa e na África.

Mais recentemente, Paulo dedicou tempo para programar em R para analisar dados de imagens de satélite e tecnologia RADAR aplicada ao rastreamento de movimentos de aves. 

Paulo também trabalha com biogeografia, ecologia de paisagem, certificação BREEAM e avaliação ambiental de acordo com os Princípios e Padrões do IFC e do FSC.

Emilio Roos

Gerente, Especialista em Avaliação Ambiental @ ECOA Ambiental | Brasil

Biólogo e Tecnólogo em Agropecuária, atua a 12 anos em Gerenciamento de Projetos e Consultoria Ambiental (Estudo e Relatório de Impacto Ambiental – EIA/RIMA, Relatório e Plano de Controle Ambiental – RCA e PCA, Relatório Ambiental Preliminar - RAP, Plano de Manejo, Relatório Ambiental Simplificado - RAS, entre outros).

Leonora Cardin

Especialista Ambiental @ENEL GREEN POWER | Brasil

Bióloga, e Mestre em Botânica pela Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro, com sólida experiência na área de consultoria ambiental, especialmente no setor elétrico. Atuei em todas as etapas do licenciamento, desde a assessoria na análise de viabilidade ambiental, até gerenciamento da operação, incluindo coordenação de Estudos de Impacto e Sistema de Gestão Ambiental para a Construção.  Participação em mais de 50 projetos, incluindo Linha de Transmissão, Subestação, Portos, Hidrelétricas, Aterros Sanitários, Complexos Eólicos-Solares, Termelétricas, Gasodutos, exploração de  gás natural, entre outros.

Cristina Catunda

Especialista Ambiental @ International Finance Corporation - IFC | Brasil

Especialista socioambiental da IFC desde 2013, Cristina avalia e monitora o desempenho socioambiental de projetos em que a IFC investe, tanto em empréstimos a empresas como a instituições financeiras. Cristina atua também em projetos de estruturação de PPPs e concessões públicas, além de participar de iniciativas diversas, tais como a elaboração de diretrizes socioambientais para grandes projetos na Amazônia, em parceria com o GVCes (http://diretrizes-grandesobras.gvces.com.br/), e assistência técnica junto ao BNDES, visando à adequação dos procedimentos internos de avaliação de risco socioambiental às referências internacionais. Cristina tem mais de 25 anos de experiência na área socioambiental, desenvolvendo e coordenando estudos e processos de licenciamento ambiental de projetos do setor privado, com foco em infraestrutura (geração, transmissão e distribuição de energia, portos, rodovias, saneamento), mineração e manufatura, além de projetos urbanos e agroindustriais. Anteriormente, foi gerente da área de estudos ambientais da ERM Brasil por 8 anos e atuou como coordenadora de estudos ambientais na CH2M Hill (atual Worley) no Brasil, além de prestar serviços de consultoria socioambiental de forma autônoma.

Arquiteta & Urbanista pela FAU-USP, Cristina tem mestrado em Ciência Ambiental pelo PROCAM-USP e doutorado (não concluído) em Relações Internacionais pelo IRI-USP.

Juliane Biehl

Pesquisadora Associada do Grupo de Pesquisa Planeamento Ambiental e Avaliação @Instituto de Tecnologia de Berlim | Alemanha

Com treino em planeamento ambiental e gestão ambiental, os interesses de Juliane são sistemas de governança e planeamento estratégico de energias renováveis.


O seu trabalho recente no grupo de pesquisa concentra-se na questão emergente do desenvolvimento sustentável de energia eólica. Juliane colaborou na exaustiva linha de pesquisa: "horizon review", um estudo de viabilidade interdisciplinar envolvendo academia, órgãos governamentais, energia eólica, consultoria, associações e sociedade civil.

João Paulo T. Damasceno

Ph.D Student in Ecology @PPGECO/UFRN | Brasil

João Damasceno é mestre em Ciências Biológicas e doutor em Ecologia pela UFRN. Atualmente colabora com Projetos de Pesquisa e Conservação no SAVE Brasil e é um dos coordenadores do Plano Nacional de Ação para a Conservação de Aves Marinhas no Brasil.

João Paula

Especialista Ambiental @Bioinsight | Portugal

O João é consultor sénior na Bioinsight prestando serviços de consultoria ambiental em projectos de energia renovável e de infraestruturas de transporte há mais de 12 anos. O seu trabalho é focado na avaliação de impactos ambientais na biodiversidade e recursos naturais, desenvolvimento e implementação de estratégias de mitigação e de planos de monitorização.  

O seu trabalho caracteriza-se pela procura de soluções de forma a garantir que os serviços prestados estão em conformidade com os padrões europeus (Directiva EIA, Directiva Habitat, Directiva Aves) e/ou com os padrões de credores internacionais (PS 6 do IFC, PR 6 do EBRD) dependendo da natureza e localização dos projectos.

Carina Rodrigues Silva

Especialista em morcegos e bioacústica @ Universidade Federal de Pernambuco | Brasil

Bióloga com experiência em bioacústica e pesquisa de morcegos desde 2012, já realizou estudos em Unidades de Conservação e Parques Eólicos. Atualmente continua aprimorando a experiência com o grupo de quirópteros através do curso de Mestrado em Biologia Animal junto ao professor Enrico Bernard no Laboratório de Ciência Aplicada à Conservação da Biodiversidade, Departamento de Zoologia, Universidade Federal de Pernambuco. Seu projeto atual consiste em avaliar como os morcegos respondem à perturbação antrópica na Caatinga através da bioacústica.

Thiago Mario Culhari

Director Social @Voltalia Energia do Brasil Ltda | Brazil

Thiago Culhari é Gerente da Área Social da Voltalia Energia do Brasil e responsável por mais de 40 projetos sociais da companhia. Atualmente atua na aplicação de Projetos Sociais da Linha ISE com subcrédito BNDES nos municípios de Areia Branca, Serra do Mel, São Miguel do Gostos, entre outros municípios do Rio Grande do Norte, além de atividades em início de desenvolvimento também no Estado do Amapá, especificamente no município do Oiapoque. Dentre dezenas de projetos, destaque especial para o Projeto Água e Renda e Quintais Produtivos na Serra do Mel; além do Projeto Bem na Escola, Bom no Esporte em Areia Branca; e Operação Sorriso, no mesmo estado. Através dessas ações, conquistou em 2017 o Certificado Benchmarking como Referência em Projetos Sustentáveis e que também possibilitou a participação na 13ª Conferência Internacional de Avaliação que ocorreu na Grécia, em Outubro de 2018.
 
Com 12 anos de experiência adquirida como Coordenador Socioambiental na CPFL Renováveis e na área de Consultorias Ambientais pela empresa JGP como Geólogo e Coordenador Ambiental, Thiago tem formação em Geologia pela Universidade Estadual Paulista – Júlio de Mesquita Filho (UNESP). Obteve o 1º lugar no Prêmio da Fundação COGE para Ações de Responsabilidade Socioambiental em 2014 com a Carteira de Projetos desenvolvidas para aplicação do subcrédito do BNDES – Linha de Investimento Social das Empresas (ISE) pela CPFL Renováveis, certificando projetos sociais sustentáveis

Felipe Serejo

Especialista em gerenciamento de projetos @Voltalia Energia do Brasil Ltda | Brazil

Engenheiro pela Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN), especialista em gerenciamento de projetos pela Fundação Getúlio Vargas (FGV) e atualmente cursando Economia, atua na área socioambiental da Voltalia desde 2015, com foco especial na prospecção, gerenciamento e avaliação dos projetos sociais da empresa. Já são mais de 40 projetos sociais no portfólio, em sua maioria ligados ao subcrédito social de empreendimentos eólicos através da Linha de Investimentos Sociais de Empresas (ISE) do BNDES. Felipe compõe ainda do comitê de projetos da We@Voltalia, uma associação global da empresa em prol do desenvolvimento de projetos sociais em áreas onde a organização está presente, além de colaborar em outros projetos internos da organização e na área de Sustentabilidade do grupo Voltalia como um todo. Possui uma importante experiência internacional, tendo residido no Inglaterra, Canadá e Estados Unidos para aprimoramento dos estudos e atualmente é membro da European Evaluation Society (EES), que tem como principal foco promover a teoria, a prática e a utilização de avaliações de alta qualidade em projetos nos mais diversos países.

Guilherme Sari

Director Comercial @DGE Soluções Renováveis  | Brasil

Diretor Comercial da empresa DGE Soluções Renováveis com atuação no setor desde 2007.

A DGE é uma empresa de desenvolvimento e estruturação de projetos que vem em um crescimento de atuação com parceria com os principais players do mercado de geração renovável global e um portfolio de 6GW entre o RS, RN, CE e PI em geração eólica e solar.

É Presidente do Sindicato de Empresas de Energia Eólica e Solar do RS – SINDIEÓLICA - desde 2017 com aumento da representatividade de empresas e de participação política e uma atuação focada na retomado do RS ao cenário de crescimento de mercado.

Marcelo Montaño

Professor Associado @ Núcleo de Estudos de Política Ambiental/USP | Brasil

Docente do Departamento de Hidráulica e Saneamento da Escola de Engenharia de São Carlos (EESC/USP), responsável pela área de Avaliação de Impacto Ambiental junto aos cursos de Engenharia oferecidos pela escola. É coordenador do Núcleo de Estudos de Política Ambiental da EESC/USP e, atualmente, vice-Presidente Administrativo da Associação Brasileira de Avaliação de Impacto (ABAI). Tem experiência com a incorporação de aspectos ambientais no desenvolvimento de projetos e no planejamento territorial, e pesquisas voltadas para a análise da efetividade da Avaliação de Impacto Ambiental e Avaliação Ambiental Estratégica.

Eduardo Wagner da Silva 

Chefe da Divisão de Licenciamento Ambiental de Energia Nuclear, Térmica, Eólica e de Outras Fontes Alternativas - Denef da Diretoria de Licenciamento Ambiental @ IBAMA | Brasil

Eduardo Wagner é Engenheiro Civil com Pós Graduação em Geoprocessamento Ambiental. Analista Ambiental do IBAMA desde 2003, atua na diretoria de Licenciamento Ambiental do IBAMA à 10 anos, com experiência em Avaliação de Impactos Ambientais em de  empreendimentos de geração de energia, como Usinas Hidrelétricas, Termelétricas, Nucleares, Eólicas e Fotovoltaicas

Leon de Aguiar

Director Geral @IDEMA | Brasil

Possui graduação em Geografia Bacharelado (2007), mestrado em Geografia (2013), especialização em Geoprocessamento e Cartografia Digital (2014) e doutorado em Geodinâmica e Geofísica (2018), todos pela Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN). Participou da elaboração do Plano de Desenvolvimento Integrado do Turismo Sustentável e Avaliação Ambiental Estratégica do Turismo dos Polos Costa Branca e Costa das Dunas no RN, financiados pelo PRODETUR/BID (2008-2009). Participou da elaboração do Plano Diretor de Drenagem do município de Natal/RN (2008). Coordenador e participante na elaboração dos Planos Diretores Participativos em municípios do Rio Grande do Norte. Foi geógrafo, gerente de projetos e responsável técnico na Start Pesquisa e Consultoria Ltda (2008-2011 / 2013). Atuou como analista ambiental para a Secretaria de Meio Ambiente do município de Tibau do Sul/RN (2013). Elaboração de Códigos de Meio Ambiente municipais (2010–2014). Coordenação e participação em estudos ambientais (RIV, RAA, RCA, RAS, EVA, EIA-RIMA) de pequena, média e grande complexidade, com destaque para obras da Copa do Mundo em Natal/RN (2009, 2011) macrodrenagem do túnel de drenagem urbana de Natal (2012), adutora Maxaranguape – São Gonçalo do Amarante (2013), obras rodoviárias, usinas eólicas e solar, projetos urbanísticos e turísticos (anos diversos). Elaboração de pareceres técnicos ambientais. Atuou na Secretaria do Meio Ambiente e Urbanismo de Natal/RN através de convênio para auxiliar a Assessoria Técnica e setor de Planejamento como Analista, com destaque como integrante na revisão dos Remanescentes de Dunas de Natal (2015-2016). Participou de Planos Locais de Habitação de Interesse Social. Coordenou e participou da elaboração de Planos Municipais de Saneamento Básico. Atua há mais de 10 anos na área de meio ambiente, geoprocessamento, topografia, licenciamento ambiental, regularização, consultoria e assessoria ambiental, prestando serviços para entidades públicas e privadas. Tem experiência na área de Geociências, Sensoriamento Remoto, Fotogrametria Digital com Drone, Processamento Digital de Imagens e outas Geotecnologias (sendo associado da SELPER Brasil desde 2018). Participou de projetos acadêmicos e estudos no Semiárido e Zona Costeira. Atuou na elaboração de Zoneamentos Ambientais, análise de áreas protegidas, mapeamentos, elaboração e revisão de Planos de Manejo de Unidades de Conservação da Natureza (PEMP–Tibau do Sul, Parque das Dunas), realização de palestras, cursos e perícias ambientais.

Ana Paula Monção Almeida

Especialista em Meio Ambiente e Recursos Hídricos @ INEMA | Brasil

Especialista em Meio Ambiente e Recursos Hídricos do órgão ambiental do Estado da Bahia, INEMA. Engenheira química (FAENQUIL/USP) e mestre em Ciência dos Materiais (UNICAMP), pós-graduada em Engenharia de Segurança do Trabalho (UFBA) e em Direito Ambiental e Urbano (Fundação do Ministério Público – RS). Com vivência profissional da indústria petroquímica e da consultoria em Análise e Gerenciamento de Riscos, atua na área de licenciamento ambiental de empreendimentos de infraestrutura e energia, com experiência em liderança e análise de processos ambientais, elaboração de Termos de Referência, Normas Técnicas e Estudos Ambientais.

 

O QUE ESPERAR

Agenda do Evento

16 DE JULHO

ORADOR

TEMA

SESSÃO I – CONTEXTO LEGAL, STANDARTS E PROCESSOS INTERNACIONAIS

08.30 : 09.00

Recepção dos convidados

09.00 : 09.10

Cônsul Paulo de Nascimento

Consulado Geral de Portugal

Discurso de Boas-vindas

09.10 : 09.20

Emílio Roos

ECOA Ambiental

Discurso de Boas-vindas

09.20 : 09.45

Eduardo Wagner

IBAMA

Agenda para o desenvolvimento do Licenciamento Ambiental Federal de Complexos Eólicos Offshore

09.45 : 10.10

Leon Aguiar

IDEMA

Questões processuais do licenciamento no Rio Grande do Norte

Ana Paula Monção Almeida

INEMA

Questões processuais do licenciamento na Bahía

10.10 : 10.30

10.30 : 11.00

Pausa para café

Cristina Catunda 

IFC

Energia Eólica e Biodiversidade sob a Ótica da International Finance Corporation – IFC

11.00 : 11.20

11.20 : 11.40

Miguel Mascarenhas

Bioinsight

Sector eólico e biodiversidade: distinção entre efeitos individuais e impactes sobre populações

11.40 : 12.00

Juliane Biehl 

Instituto Tecnológico de Berlim

Governando o vento -  Abordagens de Planejamento Estratégico e Avaliações de Impacto no Desenvolvimento de Energia Eólica na Alemanha

Guilherme Sari

DGE Soluções Renováveis

Mediador da Mesa Redonda da Sessão I

12.00 : 13.00

13.00: 14.15

Almoço (não incluso)

SESSÃO II -  CASOS DE ESTUDO, MITIGAÇÃO E GESTÃO ADAPTATIVA

Paulo Cardoso

Bioinsight

14.20 : 14.40

Cenários de expansão eólica e alterações climáticas: identificação de conflitos com biodiversidade - presente e futuro

14.40 : 15.00

João Damasceno

PPGECO/UFRN

Questões técnico-metodológicas para avaliação de impactos na avifauna em usinas eólicas 

15.00 : 15.20

Carina Rodrigues Silva

Universidade Federal Pernambuco

Avaliando e analisando dados acústicos de morcegos: o que a análise de dados acústicos em morcegos pode nos dizer?

15.20 : 15.40

Thiago Culhari & Felipe Serejo

Voltalia Energia do Brasil

Questões sociais: impactos e compartilhamento de benefícios

15.40 : 16.10

Pausa para café

16.10 : 16.30

Leonora Cardin

ENEL Green Power

Em Delfina a esperança é azul: Soltura Experimental Monitorada da arara-azul-de-lear (Anodorhynchus leari) no Parque Eólico Delfina, BA

16.30 : 16.50

Leonora Cardin

ENEL Green Power

Seguindo as pegadas do Rei: Monitoramento por telemetria das onças pardas (Puma concolor) e onças pintadas (Panthera onca) no Parque Eólico Delfina, BA

16.50 : 17.50

Marcelo Montaño

Universidade de São Paulo

Mediador da Mesa Redonda da Sessão II

17.50 : 18.00

Sessão de Encerramento

17 DE JULHO

FORMADOR

TEMA

09.00 : 13.00

Gerenciamento de Stakeholders: uma abordagem nos Padrões IFC

O tema a abordar neste workshop é muito alinhado aos Critérios do IFC para Engajamento de Stakeholders e também vai de encontro ao atendimento de itens dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) estabelecidos pela ONU.

O workshop Gerenciamento de Stakeholders: uma abordagem nos padrões IFC terá como objectivo promover um momento de práticas ligadas ao engajamento dos stakeholders principais e comuns aos empreendimentos eólicos, apresentando a eles situações “reais” e auxiliando no desenvolvimento de estratégias que conduzam à relacionamento de longo tempo de forma harmônica.

 

Também colocaremos um momento para refletirmos o processo de montagem de um “Projeto Social” diante de uma situação especifica, onde os participantes precisaram rapidamente planejar detalhes de execução e monitoramento, lembrando sempre da manutenção do relacionamento com o stakeholder!

Thiago Culhari & Felipe Serejo

Voltalia

10.30 : 11.00

Pausa para café

13.00 : 14.00

Almoço (não incluso)

14.00 : 18.00

Miguel Mascarenhas, Paulo Cardoso e João Paula

Bioinsight

Monitoramento de uma usina eólica em fase de operação - uma ferramenta para a gestão adaptativa

A gestão adaptativa é uma abordagem que garante o entendimento e o direcionamento da gestão sustentável dos recursos naturais e é por isso que ela assume um papel fundamental no licenciamento ambiental de uma usina eólica, onde o monitoramento é a melhor ferramenta para a sua execução e alinhamento.


Sabe o que é o efeito de mortalidade? como ele se reflete realmente numa população de uma ave ou morcego? como se pode mitigar esse efeito ou impacte? e como é que pode definir a direção no processo de gestão adaptativa do seu projeto?
Neste workshop vamos trabalhar em grupo, de uma forma prática, dinâmica e fundamentada e encontrar respostas à estas perguntas.
Vamos ver ainda como o monitoramento pode ser benéfico durante a operação de uma usina eólica e de que forma contribui para o sucesso da gestão adaptativa.


Os participantes irão trabalhar em grupo para: 1) analisar o efeito da mortalidade de aves e morcegos, 2) interpretar o impacte real nas populações e 3) reconhecer e selecionar as melhores soluções de mitigação para cada situação e discutir como e quando os passos anteriores permitem informar e melhorar a tomada de decisão no processo de gestão adaptativa.

15.30 : 16.00

Pausa para café

ORGANIZAÇÃO

Promotor local

ORGANIZAÇÃO

Patrocínios

ORGANIZAÇÃO

Apoios

AICEP_CMYK_ALTO_COR_FUNDO BRANCO.JPG